Pentecostes

Post thumb

A festa de Pentecostes acontece 50 dias após a Páscoa. Em 2021, será no dia 23 de maio. Neste momento estamos como os discípulos, na situação de nos unirmos com a força da 3ª qualidade da Trindade divina, o Espírito Santo, o poder do fogo espiritual.

Após quarenta dias aconteceu a Ascenção do Senhor, os discípulos pensaram ter perdido a presença do Cristo. Esta vivência entristeceu os discípulos profundamente e durante 10 dias sofreram pela perda da visão do Cristo.

Desta dor, desta tristeza e sofrimento, surgiu o que chamamos o mistério de Pentecostes, que aconteceu 50 dias após a Páscoa e 10 dias após a Ascenção.  Os discípulos que perderam a visão do Cristo, encontra-Lo outra vez na vivência interior, no sentimento, graças à tristeza e a dor que sofreram.

Quando as línguas de fogo aparecem sobre os apóstolos, inicia-se um longo caminho de transformação do ser humano em um ser eterno e imortal como o Pai. A união do Espírito Santo com o homem é uma benção não mais individual, mas coletiva. A vivência do Espírito Santo é o grande curador da força da individualização, do egoísmo.

Através desta força podemos ter a consciência que somos parte de um todo, e toda parte é essencial para a integridade do todo. Pela força do Espírito Santo nos tornamos criadores do universo, corresponsáveis pelo destino da humanidade, com capacidade de superação e transformação.Cristo fala: “Quem me ama de verdade, guarda Minha Palavra.”

Após a descida das línguas de fogo, quando os apóstolos estavam reunidos em comunidade, ficaram plenos do Espírito e começaram a anunciar a Palavra de Cristo a todos os povos.

“Guardar” a palavra pode nos fazer refletir e compreender mais profundamente o significado:

  • Guardar na consciência, estudando e memorizando seus ensinamentos
  • Guardar no coração, deixar reverberar em nós sua Palavra purificando nossa alma e lapidando nossos sentimentos.
  • Guardar no nosso mais profundo ser, em nossa vontade o impulso de atuar na vida, com coragem, vencendo nosso egoísmo, através de nossas ações.

O impulso de Pentecostes permaneceu acessa nos discípulos por toda sua vida. Encontrar esta “chama divina” em nós faz com que possamos levar a todos os lugares e pessoas seus ensinamentos, fortalecendo a coragem e a capacidade de superar as dificuldades no caminho.

Hoje a festa de Pentecostes deve trazer a força para “guardar” em nós algo de seu impulso espiritual. Vivificar a vontade de ir ao encontro do outro. A festa de Pentecostes é uma imagem de futuro, de uma meta em comunidade, para que Sua Palavra não se perca ou enrijeça no coração humano, para que se torne algo vivo, que vibre em sintonia com o fogo espiritual.

Este fogo espiritual que nos é trazido na imagem das línguas de fogo não acontece em um indivíduo sozinho, mas a partir do encontro com o outro, através da consciência de si, da liberdade e da comunidade.

Compreender que é preciso criar uma chama de calor amoroso que ilumina, que dá liberdade para que cada um possa se tornar ele mesmo, a partir de suas escolhas e decisões, com a vontade espiritual, buscando coragem para sempre seguir em frente com sua missão.

Como reflexão: O que em mim quero trazer para contribuir com a comunidade?

Que o Espírito Santo possa habitar em nossos corações, pensamentos e ações.

 

Autora: Tereza Cristina Campos de Oliveira

Referências:

- Pentecostes Universal – A mensagem da Antroposofia, Rudolf Steiner, GA 226.

- Comunidade dos Cristãos – Renato Gomes – 31/05/2020

- O Caminho de Cristo. O resgate da magia das Festas Cristãs. Karin Evelyn de Almeida.2012. p.74 a 76.