Qual o meu caminho?

Post thumb

 

“ Os dois dias mais importantes da sua vida: são o dia em que você nasceu

e o dia em  que você descobre o porquê?” Mark Twain

 

Qual meu propósito de vida? Qual minha função, o que vim realizar nesta vida? Podemos reconhecer um copo porque sabemos que sua função é para colocar líquido, caso contrário, não seria um copo. Essa percepção da função do copo antecede a forma física do copo, só assim sou capaz de reconhecê-lo.

Como tudo ao nosso redor possui uma função, um propósito, nós seres humanos únicos, também temos nossas funções, que são exclusivas e únicas, e que cabe somente a cada um de nós identificar e realizar. Desde o momento do nascimento, na primeira respiração, já trazemos em nós as nossas intenções para a jornada da vida. Estas intenções são o que desejamos ou que precisamos realizar para nosso desenvolvimento como seres espirituais.

Durante nossa jornada, podemos ter várias oportunidades de perceber uma luz sobre estas intenções. Uma destas oportunidades é a tomada de consciência, o olhar para nossa biografia, esse olhar pode nos auxiliar a perceber o caminho, aonde ele nos leva ou onde me desviei dele. Esta percepção do propósito, mesmo que de uma forma não muito clara, pode nos ajudar a dar um significado, um sentido para este caminhar e uma possibilidade de preparar de forma mais consciente esta busca.

Em algumas fases da vida, por exigências próprias de determinado momento, podemos ter que executar outras funções, mas seguimos caminhando e nos fortalecendo para que mais à frente tomemos posse do nosso propósito de forma mais consciente, amadurecidos e munidos das ferramentas, agora mais claras, para podermos seguir em direção à meta.

Por volta dos 12 anos, o que você gostaria de ser quando crescer? Esta pergunta também pode nos dar algumas pistas das nossas intenções trazidas no momento do nosso nascimento. Não necessariamente a profissão que pensávamos ter, mas o que nos chamava à atenção, a essência, o que significava para nós esta profissão, e isto já seria uma maneira de começar a nos orientar.

Todos trazemos as ferramentas para a realização de nossas tarefas. Algumas ainda estão bem escondidas no fundo da caixa, precisamos trazer luz para estas ferramentas, tomar posse delas para termos a capacidade e coragem de utilizarmos as que forem necessárias para finalizar nossa obra.

A oportunidade de estarmos no caminho do nosso propósito ou função, nos norteia, nos faz caminhar mais seguros e assim sermos exemplo para que outros também busquem seu próprio caminho de realização. O caminhar na nossa biografia nos oferece a oportunidade de autoeducação, autoconhecimento e consequentemente a capacidade de desenvolvimento. Com estas três capacidades desenvolvidas, nos tornamos fortalecidos e munidos das ferramentas para seguirmos em frente diante dos desafios. Aprender a ouvir a voz do coração.

Da mais simples à mais complexa função ou propósito de vida que podemos realizar, o maior desafio é dar um significado espiritual, que sempre estará relacionado a servir o outro.  Seria a meta final de todos os seres humanos. O dia que descobrirmos o “porquê” passará a ser tão importante como o dia que nascemos, por  caracterizar um novo nascer.

Qual é o meu propósito de vida, qual caminho seguir?

 Tereza Cristina Campos de Oliveira

Psicóloga e Aconselhadora Biográfica

 

Referências bibliográficas:

- BENTO, William – Transtornos Mentais – Um olhar da Psicologia Antroposófica – 1ª- edição- 2014 – Editora Antroposófica- São Paulo

_______Psicologia Antroposófica e outros Escritos, 1ª- edição – 2017 Ed.  João de Barro – São Paulo

- BURKHARD, Gudrun - Tomar a vida nas próprias mãos, 6ª edição- 2016- ed. Antroposófica – São Paulo

- O‘NEIL , George e O‘Neil Gisela -  A vida Humana-– 1ª ed.- 2014- ed. Antroposófica. São Paulo

 

https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwjJ4p6Cla_qAhXhLLkGHQC0Cp0QwqsBMAB6BAgKEAQ&url=https%3A%2F%2Fwww.youtube.com%2Fwatch%3Fv%3DDjoTrkTCv-g&usg=AOvVaw2ZcCXN2bJQ3TQeXa7lAkMx